Festa do Oscar: Proibida a entrada de maiores de 60?

Postado em 12 de jan de 2013

O personagem central do faroeste Bravura Indômita é um pistoleiro bêbado, o xerife Rooster Cogburn, que é contratado pela menina Mattie Ross, de apenas 14 anos, para que prenda o assassino de seu pai. A versão original desse clássico do cinema americano foi filmada em 1969 e teve John Wayne no papel principal.

Em 7 de abril de 1970, quando Wayne subiu ao palco para receber o Oscar de Melhor Ator, além da estatueta ele faria história por outro fato. Então com 62 anos, ele seria o primeiro ator com mais de 60 anos a receber o prêmio máximo da academia. E isso ocorreria apenas na 42ª edição do prêmio, celebrado desde 1929.

Em 2012, passadas outras 43 edições do Oscar, totalizando 85 premiações, apenas outros 4 atores repetiriam o feito do valentão Wayne:  Henry Fonda, com 76 anos (Num Lago Dourado, 1981), Paul Newman, também com 62 anos (A Cor do Dinheiro, 1987), Jack Nicholson com 60 anos (Melhor Impossível, 1998) e Jeff Bridges, com 60 anos (Coração Louco, 2010). Uma curiosidade é que o mesmo Bridges, o último sessentão a receber o Oscar, também em 2010 deu vida novamente ao xerife beberrão Rooster Cogburn, na refilmagem dos irmãos Cohen do clássico Bravura Indômita.

Coincidências a parte, a escassez de vencedores mais velhos é consequência matemática da sua participação nos filmes em geral, seja em Hollywood, seja por aqui. Mais do que uma regra de três, tal fato ilustra uma realidade cruel: são raros os papéis, sobretudo os principais, que retratam personagens de idade mais avançada. O cinema imita a vida, não é o que diz um desses ditados?

O ostracismo a que são relegados grandes atores e atrizes depois de atingirem certa idade infelizmente é mais do que uma dura regra do cinema. Trata-se antes de uma extensão do mesmo fenômeno social que abrange praticamente todas as áreas de nossa sociedade. Sob esse prisma, nos comportamos como os elefantes, que quando atingem a velhice se isolam do grupo, onde acabam morrendo sozinhos.

Roni Ribeiro